Uma coisa do freak do Caeiro que deve ser tomada como referência para os que gozam de ser Portugas.

Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver no Universo ... por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer, porque eu sou do tamanho do que vejo e não do tamanho da minha altura ...

quinta-feira, 21 de dezembro de 2006

Vinte anos depois ...

Foi em 1987 que acabou para mim a cena militar, coisas houve depois que fiz mas não a nível oficial, mas isso são outros ossos.

Hoje comecei a delirar, cenas do Natal, e lembrei-me de procurar aqui na base de dados desta casa onde trabalho a ver se conseguia encontrar o nome de um camarada meu ... fiquei perplexo, o nome do animal estava ali escarrapachado.

Bem, escusado será dizer que liguei ao 1.º Cabo Colaço, vinte anos depois.

Amigo, isto é dedicado a ti.

Abraço enorme e obrigado por todos os momentos fantásticos que passámos no BIRT.

Ao 2.º Turno de 1986, Fisgas, Massas, Marques, Bravo, Bébé, Pinto, Pereira, Folhadela, Machado, Salgueiro, Figueiroa, Cruz, Olhinhos, Bambi, Soviético, essa malta toda, um forte abraço do Fred (NMec.º 00236086).

2 comentários:

  1. João Colaço21 dezembro, 2006

    Grande GRANDE AMIGÃO . .. . .
    Fred após 20 anos cá "estemos", cheios de pica, ainda estou com uma moka, nem acredito o meu camarada 1º cabo Fred apareceu-me no telemóvel, o bacano que estava sempre com um sorriso e com mt sede, e os seus Ducados sem filtro, nos beços. . . he he
    Foi uma maravilhosa prenda de natal, á amigos que ficam gravados no coração, td de bom para ti e familia.
    BOAS FESTAS

    ResponderEliminar
  2. Foram tempos fantásticos, de loucura por vezes, mas sã. Sabiamos os limites. Foi diferente.

    Abração e Boas Festas.

    ResponderEliminar

OS COMENTÁRIOS SÃO DA RESPONSABILIDADE DE CADA UTILIZADOR.