Uma coisa do freak do Caeiro que deve ser tomada como referência para os que gozam de ser Portugas.

Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver no Universo ... por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer, porque eu sou do tamanho do que vejo e não do tamanho da minha altura ...

quarta-feira, 6 de dezembro de 2006

Néctar divino que me deixas inebriado

O vinho ocupa, desde há milhares de anos, um lugar muito especial na história da humanidade.

Da economia à mitologia, da cultura à tecnologia, na paz e na guerra, o vinho, apelidado de “néctar dos deuses”, tem estado no centro das atenções de produtores, comerciantes, consumidores, políticos, religiosos, médicos, investigadores, escritores, etc.

O vinho faz parte do dia-a-dia de muitos milhares de consumidores, em restaurantes ou em suas casas, em consumo próprio ou situação de oferta.

Eu, vejo-o simples, desta maneira, a ilustrada. Mas tomo-o com precaução.

7 comentários:

  1. F. S. Garden Resort06 dezembro, 2006

    Eu, além de gostar de vinho porque gosto, é a unica bebida alcoólica que a minha médica me deixa beber. Apenas e exclusivamente tinto.
    Não é que ela mande em mim, afinal já sou casado.
    Agora vou fazer um poema em homenagem a mim e ao tinto.

    Ó vinho, ó vinho, ó vinho
    Água bebe-a tu
    Cerveja faz-me mijar
    E a Cola comichão no cu

    Ó vinho, ó vinho ó vinho
    Ó tinto do coração
    Bebam tinto com fartura
    Outra merda é que não

    ResponderEliminar
  2. Dom Policarpo06 dezembro, 2006

    Ora aí está um tema interexante e que eu gosto.
    Gosto do tema embora goste ainda mais do binho.
    O binho é bão, é xaudabél e acompanha bem cão as óstias.
    Xó é pena alguns comentários com poemas bergunhojos cheios de palabrões e ainda por xima axerca do binho.
    O binho é uma das fontes da bida. Xe num houbexe íágua, eu queria ber.
    Gostei da fotografia da moxa com um bestidinho muito xingelo a preparar-xe para degustar uma taxinha de tinto.
    Se eu lá estibexe, ainda lhe daba a probar a ióstia e cumbidába-a a juntarxe ao meu rebanho.

    ResponderEliminar
  3. o sr. não acha c'anda a ficar munto atrebido? eu cá acho! qualquer dia indó apanho a fumar...

    ResponderEliminar
  4. Dom Policarpo06 dezembro, 2006

    Irmã!!!!
    Balha-me Deus.
    Atrebido eu?
    Eu aixo é que a irmã anda muito á minha bolta.
    Já agora, de que paróquia é a irmã?

    ResponderEliminar
  5. eu vejo o vinho: bem, ao principio, desfocado quando a garrafa está meia e quase não o vejo quando é para abrir a segunda garrafa.

    ResponderEliminar
  6. Ó Eduarda.
    Tens bom remédio.
    Vai bebendo copo a copo e assim nunca vês nem o meio nem o fim da garrafa.
    Beijinhos para ti por gostares de vinho.

    ResponderEliminar
  7. À sua bolta??!! Cruzes sr. dom policarpo! E eu lá era capaz duma coisa dessas! Homem pra mim só há um! É o Senhor (não é o sr, é o Outro) e mais nenhum!! Virgem Maria!
    Quanto à minha paróquia é melhor ficarmos por aqui, que na minha paróquia só há penitentes.

    ResponderEliminar

OS COMENTÁRIOS SÃO DA RESPONSABILIDADE DE CADA UTILIZADOR.