Uma coisa do freak do Caeiro que deve ser tomada como referência para os que gozam de ser Portugas.

Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver no Universo ... por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer, porque eu sou do tamanho do que vejo e não do tamanho da minha altura ...

sexta-feira, 12 de janeiro de 2007

Há dias assim

Há dias e dias.
Há dias em que olhamos para trás com a ternura num olho e o desencanto noutro.
Há dias em que não temos a certeza do que queremos.
Há dias em que temos a certeza do que não queremos.
Há dias em que o futuro passa por nós à velocidade da luz.
Há dias em que o passado se senta à nossa frente.
Há dias em que é simultaneamente cedo e tarde demais.
Há dias que, sendo iguais a tantos outros, são diferentes e únicos.

Isabel Duarte

3 comentários:

  1. Sério, estranho e algo inquientante este teu post... Gostei (bastante, aliás), maaaas, what'up?? Que queres, a malta que vem por aqui não está habituada e estranha...

    ResponderEliminar
  2. há dias assim...às vezes estamos cansados, mas nem por isso deixamos de ser os mesmos, com qualidades redobradas, por termos coragem de demonstrar as nossas fraquezas, na certeza de que somos amados pelo que somos e que não nos amarão menos por nos sentirmos assim...Gosto MUITO de ti!

    ResponderEliminar
  3. E quem diz que eu também não gosto muito DELE??? Essa agora!...

    ResponderEliminar

OS COMENTÁRIOS SÃO DA RESPONSABILIDADE DE CADA UTILIZADOR.