Uma coisa do freak do Caeiro que deve ser tomada como referência para os que gozam de ser Portugas.

Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver no Universo ... por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer, porque eu sou do tamanho do que vejo e não do tamanho da minha altura ...

quinta-feira, 11 de dezembro de 2003

Dina,

Estive na rua,
no mundo,
aos gritos.
E desvairado por ti como estou,
até abraços nos ciganos que vendem óculos na rua eu dei,
pulos e saltos eu dei,
cambalhotas e beliscões eu dei,
felicidade eu distribui pelos veraneantes lisboetas que me acenavam ao passar e murmuravam:
"coitado, está apaixonado pela mulher dos seus sonhos e não sabe ...",
mas eu sei,
eu sei,
eu sei, sei que quando te vir,
te vou olhar nos olhos,
agarrar-te as mãos e ...
perguntar-te pela derradeira vez,
fazer-te enfrentar a verdade e o destino,
questionar-te sobre a vontade,
o querer,
o ter,
o sentir,
o saborear,
definitivamente ...
perguntarei:
vamos beber uma Guinnes esta semana? E de tremoços, gostas?
***************************************

Sem comentários:

Enviar um comentário

OS COMENTÁRIOS SÃO DA RESPONSABILIDADE DE CADA UTILIZADOR.