Uma coisa do freak do Caeiro que deve ser tomada como referência para os que gozam de ser Portugas.

Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver no Universo ... por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer, porque eu sou do tamanho do que vejo e não do tamanho da minha altura ...

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Mas que barulho é este?

Meus ilustres amigos, são barulhos, simplesmente barulhos, mas barulhos muito distintos.

Deveras ensurdecedor é o som causado pelas movimentações de políticos; estrondoso é o ruído que causa o arrepiar caminho do ensejo que gere o processo Casa Pia e tornará impune tanto bandido conhecido; inebriante é a algazarra que se faz sentir quando se descobre que este gestor enganou aquele e ludibriou o contribuinte pobre e pagante, mas como é pai do filho que é casado com a filha do antigo ministro ou coiso, tudo se transforma numa poça fétida e logo esta é tapada com um outro barulho qualquer que nos distrai com tanto carpir e mau cheiro. Mas também há o barulho catita, mesmo catita, que nestes últimos anos se ouve, é o barulho que faz o bater no cabrão do polícia que prendeu o coitado do meliante e de propósito lhe arranhou a mente com a honra demonstrada em servir Portugal e defender os Direitos do Cidadão Comum.

Torna-se simplesmente inquietante, ouvir o chinfrim que alguns decrépitos políticos fazem agora quando estão prestes a bater a pataleta e já gagás e senis para esconderem as cuspidelas que largaram noutros tempos, aparecem com programas na televisão e chamam à razão da sua estupidificante mumificação, poderes tão barulhentos com a Maçonaria, a Opus Dei ou mesmo a defunta Igreja Católica, isto é que é alarido digno de ser ouvido e objecto de estudo para descoberta do seu ADN. Depois de se saber quem deu origem a esta agonia, matava-se o gene primogénito desta merda toda e acabavam-se os compadrios e metia-se esta ladroagem toda no Farol do Bugio, mas isso é outra estória. Ah é muito perto? Então repovoava-se África e já se libertavam metade dos desempregados. Mas isto também é outra história. Parece que está a nevar, ou sou só eu que sinto?!

Outros barulhos, mas não menos importantes, são o de quem audivelmente se faz destacar como defensor de causas ambientais, ou o dos demagogos da ala-mais-á-direita-ou-mais-á-esquerda-ou-quase-ao-centro que nada fazem a não ser parecerem-se com arlequins para depois se descoroçoarem, ou o das gentes que se consideram do jet-set e a quem não se lhes pode dizer que vestem tão mal de cara como de inteligência que se agarram logo ao laxante e metem baixa psicológica. Isto dá uma algazzarra desenfreada.

Muitos mais barulhos existem, só que o mais enigmático e belo de todos os barulhos, é o barulho que andamos a escutar há 35 anos e dele não ouvimos dizer nada por que não queremos nem tão pouco cremos que somos capazes de abrir o tímpano, fazermo-nos ouvir e interrogar, com preceito de questionário multi-resposta com a menina-de-cinco-olhos em cima da secretária, a quem de direito, que merda de barulho tem feito ao longo destas três últimas décadas que nós não ouvimos mais nada senão tudo o que escrevi e disse nas linhas atrás!

Foge-me agora a disposição do dizer o que penso, para aproveitar o Verão e catapultar-me numa onda, mais apostilada do que de espuma e lixo, e perguntar-vos se já alguém alguma vez na vida ouviu o barulho que é causado por um ds mais fenomenais espectáculos que a natureza nos proporciona e nos deixa completamente embevecidos pela sua beleza e candura, mas que com o decorrer dos tempos, se torna num monstro capaz de devorar vidas e cidades. Pergunto-vos, já algum de vós ouviu o barulho da Neve? Acho que sim, só que desconhecíamos ser este o barulho, o da neve que anda a cair em Portugal há mais de trinta anos.

Afinal, é neve, de tão bela que é ao inicio a tão criminosa no seu esplendor, são dois passos até se que se torne estrondosamente ensurdecedora ao provocar as avalanchas que agora conseguimos vislumbrar e ouvir.

Afinal era neve, estou para aqui eu a falar de quê, que barulho é este??!! Mas estou parvo ou quê?! É neve sim senhor! Ah bom!

Porra, pensei que estava surdo, é que não ouvia nada, mas é neve. E faz um barulho bonito não faz?! Nem se ouve! Mas é neve. Néééé-ve! Está tudo bem senhor director, tudo bem, afinal este barulho é neve! Sim, no Verão também cai, e deixa cá uma camada!!!!! Mas é neve.

2 comentários:

  1. És o maior.Abraço
    MM

    ResponderEliminar
  2. E eu que andava há tanto tempo com uma dor de cabeça insuportável, daquelas que não "batem leve levemente"!!! Só agora percebo a causa!!!

    És mesmo o "maior".

    ResponderEliminar

OS COMENTÁRIOS SÃO DA RESPONSABILIDADE DE CADA UTILIZADOR.