Uma coisa do freak do Caeiro que deve ser tomada como referência para os que gozam de ser Portugas.

Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver no Universo ... por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer, porque eu sou do tamanho do que vejo e não do tamanho da minha altura ...

quinta-feira, 9 de dezembro de 2004

O "efeito Tchibum"

Acredito que, ao cagar, a maioria de vocês já tenham molhado a “perniciosa báscula” na água fétida que o cagalhão levanta ao cair na água do vaso.
Todos, ainda que intuitivamente, já devem ter feito uso de alguma técnica para evitar o "efeito tchibum".

  1. Posicionar o ânus o mais próximo possível da tábua, deixando o saco (caso você o tenha) esmagado sobre a mesma. Assim, a barrola fedorenta desce rolando pela louça. Com a queda amortecida, o senegalês mal-cheiroso não causa o "efeito tchibum".Problemas:a) A merda deixa um rastro na louça (tal técnica consiste em, literalmente, "jogar um barro na louça"). Sobre o ponto de vista estético, foda-se! Além do mais não é o macho da casa que vai limpar a barrolinha (no máximo, dá pra tentar desfazer a trilha pastosa com jatos de mijo de alta pressão). Mas aquele filete marrom pode vir a feder mais tarde. E, no caso de jogar um barro na casa da namorada ou dos sogros, pode pegar mal se alguém entrar depois de você.b) Se a pontaria for mal calculada, o toletão pode raspar na tábua e cagar a porra toda. Neste caso, é de bom grado limpar depois de terminado o serviço. Até porque na barreada seguinte, o cagão corre o risco de esquecer e sujar o saco na própria merda que lá ficara, o que seria, convenhamos, bastante desagradável.
  2. Criar um tapete flutuante de papel higiênico. Conhecida como "efeito overcraft", essa técnica parte do pressuposto que a merda será amortecida ao bater no tapete de papel evitando o "efeito tchibum". Problemas:a) Errar na quantidade de papel para menos. Neste caso, a água vai bater na “perniciosa báscula” de qualquer forma. b) Errar na quantidade de papel para mais. Neste caso, a privada entope e o cagante passa pela constrangedora experiência de ter de fugir da água com merda que sobe ameaçadora e lentamente privada acima. Pior: na ponta dos pés e segurando a calça pra não cair (ainda por cima).
  3. Técnica conhecida como "cag'n run". Consiste em cagar no meio da privada e tirar a “perniciosa báscula” rapidamente antes que o chafariz barrento atinja a raba. Tal técnica exige reflexo, explosão muscular e uma coordenação motora pelo menos razoáveis.Problemas:a) Arrancar lentamente. Neste caso, tudo vai por água abaixo (ou acima, no caso) e o furíco é atingido pela água podre de qualquer jeito.b) Arrancar rapidamente demais. Neste caso, corre-se o risco de tirar o cu da reta antes de a merda se desprender da flor de oríba. Resultado: relhoto na tábua, no chão do quarto de banho ou, pior, dentro da cueca do cagão.Além disso, o cagante pode ser enganado pelo relhoto do tipo "dois estágios". Neste caso, o cagante pensa que se livrou do charutão e, sem nada poder fazer, vê uma badalhoca cair dentro da cueca.
  4. Arte Zen.Exige um completo domínio de sua musculatura abdominal, peristáltica e anal. Leva anos de aprendizado para ser dominada. A merda deve ser expelida na velocidade mais baixa possível, sem que a matéria se rompa. Dependendo da sua consistência, isso pode demorar de alguns segundos a vários minutos. Um monge tibetano experiente pode prolongar a cagada por mais de dois dias. Se for alimentado durante a performance, poderá emitir uma corda de merda (cagaputra) de mais de 2 metros, por força da união das diversas cagadas subseqüentes. De qualquer forma, o objetivo é o de obrar um objeto cilíndrico bem desenhado, que será ejetado num perfeito salto ornamental olímpico, provocando apenas uma graciosa marola depois de uma queda vertical.Problemas:

4.a) Dormir no banheiro. Dependendo do tempo da cochilada, a posterior limpeza do posterior exigirá muita paciência. Um jatinho d'água passará até a ser bem-vindo.

4.b) Adormecer as pernas e o rabo. Nesse caso a sensibilidade será prejudicada e o cuidadoso cagão poderá vestir as calças com a bunda molhada, sem perceber.

4.c) Descobrir um prazer antes adormecido. Nesse caso será melhor mudar a técnica antes que tal prática constitua um vício e se passe a fazer uso de drogas mais fortes e mais largas!

Sem comentários:

Enviar um comentário

OS COMENTÁRIOS SÃO DA RESPONSABILIDADE DE CADA UTILIZADOR.