Uma coisa do freak do Caeiro que deve ser tomada como referência para os que gozam de ser Portugas.

Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver no Universo ... por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer, porque eu sou do tamanho do que vejo e não do tamanho da minha altura ...

segunda-feira, 13 de dezembro de 2004


A pergunta do momento ...

Lá vem o Timbálico, transeunte habitual da Rua Victor Córdon, lá vem ele rua abaixo todo descansado, libertando-se, enquanto pontapeia os esquivos ressaltos das pedrinhas da calçada, e se vai vendo livre de inestéticos e peristálticos nódulos gasosos que se passeiam aleatoriamente pelo intestalho, quando de repente se lhe saproxima um vulgo (in Frangalho; colega de trabalho, vulgo, alguém conhecido) e lhe assalta a tumescente e parca consciencia com a pergunta:

  • Atão karalho, sentiste ... ??!!

Bem, nem é preciso dizer, o Timbálico até abanou (pensa ele: "dasssse, atão metem e já nem sinto ??!!") ... quando ía a retorquir eis senão que o vulgo ...

  • Atão karalho??!! NÃO O SEN-TIS-TES karalho ??!!

O Timbálico até esgacejou, à canelas que não lhaguentavam o peso ... e vai ele." ...ía cômeustou ... nem o senti, nem o sinto o que é pior ... ía cômeustou meu Deus ...". E nisto, o vulgo ao aperceber-se do desmaio falhado do Timbálico, agarra-o pela gola da gabardine azul escura e acabadinha de vir da lavandaria, aquela ali bem perto do coiso, o .... não interessa, bem, agarra-o pela gabardine a abana-o e toma a liberdade de o fustigar psicologicamente com uma outra questão assaz pertinente para o momento (eram 14 e dezanove quase vinte), vai o vulgo e ...

  • Atão karalho??!! Sentistezio ou não karalho??!! Diz-me se fui só eu que lho senti, diz-me Timbálico, sentiste-lhounão karalho??!!

Timbálico recompôs-se e afastando as mãos do intrépido vulgo da gola da sua gabardine acabadinha de sair da ... bem ... já erecto, firme e hirto como uma barra de sabão azul-e-branco ... eeeeeh, lembram-se do Tide à mão?! ... bem, já recomposto o Timbálico espeta uma valente cuspidela no único olho que funcionava do maldito vulgo e despacha-o empurrando-o e vociferando "maldito sejas vulgo do karalho que massustastes (in Frangalho; massustastes, meteste-me um cagaço de primeira) e mias fazendo borrar com esse massustus (in Frangalho; massustus, valente cagaço). E assim foi ...

Enfim, terminem sempre as vossas questões ou dúvidas que sejam, caso contrário pode-vos acontecer algo do género. batsva terem questionado de uma simples e eficaz maneira: Sentiste-lho karalho??!! Viste o terramoto ... dasssse queu senti-ó karalho, se senti! Atão pá, tás bonzinho ó quê?? e tudo seria diferente.

Bem hajam,

Jack Dalton


1 comentário:

  1. Na realidade, e a ser verdade, a tremedeira, aliada à localização geográfica do seu epicentro, onde supostamente terá acontecido, não sentinadakaralho...
    Enfim, coisas que só acontecem quando o people se passeia na Rua Victor Córdon a libertar massas gasosas com movimentos tectónicos de alto gabarito, sei lá...

    ResponderEliminar

OS COMENTÁRIOS SÃO DA RESPONSABILIDADE DE CADA UTILIZADOR.